AUTOAVENIDA

O seu concessionário automóvel em Setúbal

Quais os sinais que indicam que deve trocar de carro?

Tal como acontece com qualquer objeto, um automóvel também tem um período de vida útil. Apesar de todos os cuidados que deve ter, nomeadamente o respeito pelos prazos de inspeção e revisão, chega o inevitável momento em que a vida útil dos carros acaba e torna-se necessário proceder à troca de viatura.

Se não sabe se esse é o seu caso, ao longo deste artigo vamos ajudá-lo a identificar os sinais que indicam que está na hora de trocar de carro, mas antes de tudo isto, comecemos por lhe explicar como é definido o tempo de vida útil de um carro.

O que é e como se define o tempo de vida útil do carro?

Definir o momento em que um automóvel chega ao fim da sua vida útil não é simples, uma vez que existem fatores que podem prolongar ou diminuí-la.

Um desses fatores é a manutenção regular e corretiva do veículo. Fazer a troca de óleo, filtros e correias nos prazos estabelecidos pelo fabricante, é uma das formas de prolongar a vida útil do seu carro. Por exemplo, no caso da Kia, a marca, através das suas oficinas, oferecem um serviço de reparação que não só lhe vai permitir realizar o diagnóstico e reparação/revisão com peças originais, como também lhe garante o valor de retoma no caso de trocar de carro.

A isto, é ainda importante sublinhar que os carros Kia usufruem de uma garantia única no mercado automóvel de 7 anos de ou 150.000km na Europa.

Para além da necessária manutenção e revisão, o estilo de condução adotada e as condições meteorológicas também têm um peso enorme no cálculo da vida útil do carro. Por exemplo, uma condução agressiva pautada por travagens e acelerações bruscas retiram anos de vida ao motor do carro, enquanto um carro que circule vários dias por ano em neve, pode ver o desgaste das suas peças, nomeadamente da sua parte inferior, aumentar exponencialmente devido ao sal que se deita nas estradas para que o gelo derreta.

Estes são alguns dos principais fatores que prolongam ou não a vida útil dos carros que estão nas mãos dos proprietários dos veículos, mas os fabricantes também têm uma palavra a dizer.

Os critérios de qualidade e segurança são cada vez mais apertados na indústria automóvel, o que acaba por dar ao consumidor carros mais resistentes e seguros de que são obrigados a terem uma vida útil mínima e máxima em função da marca e modelo.

Por exemplo, no caso do motor, estes apresentam uma janela de durabilidade que vai dos 150 mil km aos 250 mil km, ficando o tempo útil de vida dependente dos fatores de manutenção e uso de que já falamos.

Já no caso de puxadores, frisos e outros apetrechos de plástico, a sua duração média ronda os 10 anos, a mesma duração mínima que uma carroçaria, exposta por largos períodos aos elementos, apresenta. Fora deste ranking, encontramos os componentes elétricos que, por norma, apresentam uma durabilidade ilimitada.

Com isto em mente, vamos então partir para a identificação dos sinais que indicam que deve trocar de carro.

Sinais que indicam que o seu carro atingiu o seu tempo de vida útil

Se o seu automóvel está a começar a dar-lhe um ou mais destes sinais, é possível que tenha chegado a hora de trocar de carro:

• Ruídos não usuais no motor no momento do arranque e durante a marcha;
• Acumulação de ferrugem em vários pontos da carroçaria e aumento da humidade no interior do habitáculo;
• Sobreaquecimento regular do motor e vibração recorrente no volante e pedais;
• Perda de líquido de refrigeração
• Folgas no sistema de transmissão e dificuldade em manter uma trajetória reta, mesmo quando tem a direção alinhada;
• Emissão de fumo negro pelo escape (possível sintoma de que está a queimar óleo);
• Suspensão instável.

Estes sete sinais podem dar-lhe a indicação de que está na altura de trocar de carro, contudo, será sempre importante perceber junta da marca ou do seu mecânico se é possível corrigir os problemas, se tal é financeiramente viável e se, mesmo corrigidas as avarias, a segurança não estará comprometida a curto prazo.

A respeito da segurança, é interessante referir que, de acordo com a Direção Geral de Trânsito espanhola, a idade média dos automóveis acidentados é de 14 anos.

Apesar de, um dia, o seu carro ter como destino uma sucata, é importante que cuide bem dele ao longo do seu tempo útil de vida de modo não só a poupar-lhe dinheiro, mas, sobretudo, pela segurança da sua condução.